João Victor Oliva registra 1o índice olímpico com Escorial Horsecampline, em Portugal

Com a nota média final de 71.000% de aproveitamento no Grand Prix do CDI3* de Alter do Chão em competição de estreia em prova internacional, o brasileiro João Victor Marcari Oliva registrou 1o índice olímpico.


O conjunto, que ficou em 6º na classificação geral, obteve também índice com dois juízes FEI 5*: 71,1964% com Raphael Saleh, da França, e 70,761%, na avaliação do alemão Elke Ebert. O conjunto estreou nas pistas em 15/11 em um concurso nacional (CDN), também em Alter do Chão, quando foi o campeão do Grande Prêmio com 70,543%.

Outro motivo de comemoração do cavaleiro paulista de 24 anos na última sexta-feira, 27, foi a vitória na Intermediária A (Mediam Tour) montando Feel Good VO, garanhão warmblood de oito anos, com 68,206% de nota média final. Feel Good VO, criação da Coudelaria Ilha Verde, é outra aposta do atleta na Dressage. A formação do conjunto, em setembro, faz parte de um projeto olímpico idealizado pela JRME Horse Campline, de João Montavni Neto, proprietário de Escorial, Puro Sangue Lusitano de 11 anos, em parceria com o cavaleiro brasileiro, e tem como objetivo a qualificação para as Olimpíadas de Tóquio, ano que vem.

O índice olímpico (Requisito Mínimo de Elegibilidade, MER, na versão em inglês) estabelecido pela Federação Equestre Internacional (FEI) é de 66% de nota média geral e com juiz FEI5* no Grand Prix em Concursos de Dressage Internacional (CDIs) acima de 3*. Para se habilitar a única vaga do Brasil no Hipismo Adestramento, o conjunto precisa registrar um mínimo de dois índices.

Cavaleiro olímpico, duas vezes medalha de bronze por equipe nos Jogos Pan-americanos, João Victor Oliva é atleta militar (Sgtº Oliva) e desde 2014 reside na Europa – até 2019 na Alemanha e a partir de 2020 em Portugal -, para onde se transferiu em busca de aperfeiçoamento técnico e possibilidade de competir ao lado dos tops mundiais da modalidade.


“Foi minha primeira prova internacional com o Escorial. Estou super contente com o resultado e ainda vejo margem de melhoras, uma vez que estamos há apenas dois meses juntos. Com o Feel Good VO, disputei pela primeira vez o Medium Tour com vitória, tivemos alguns erros, mas também vejo que temos muita a melhorar. Estou contente, principalmente porque é um cavalo de nossa criação, domado por mim. Então estou muito orgulhoso dele”, finalizou o cavaleiro em entrevista a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH).

Na foto e em vídeo de Rui Pedro Godinho, João Victor Oliva e Escorial Horsecampline durante o Grand Prix do CDI3* Alter do Chão, na conquista do 1º índice olímpico do conjunto: https://youtu.be/ulqqO2AytUE