Fatores que afetam a fertilidade do garanhão

Conhecer os motivos que levam o garanhão equino à infertilidade é de grande importância para que o produtor possa se manter atento. Antes mesmo do surgimento do problema, conhecendo esses fatores, é possível se precaver realizando algumas ações preventivas. E, assim, garantir a vida saudável destes animais destinados à ampliação do plantel.
 
Grande parte do sucesso reprodutivo está atrelado à escolha do macho para a reprodução, e por isso entender tudo que tange sua capacidade reprodutiva é importante. Um garanhão equino com problemas de fertilidade pode comprometer, até mesmo, a técnica mais bem executada. Ou seja, é um investimento que pode comprometer seriamente a rentabilidade da criação.
 
Pensando nisso, neste artigo vamos apresentar alguns fatores que podem comprometer sua fertilidade. Somado a isso, vamos expandir a discussão sobre a importância da realização do exame andrológico em equinos. Confira!
 
Fatores que afetam a fertilidade do garanhão equino
Para quem tem o objetivo de trabalhar com reprodução equina, entender os fatores que afetam a fertilidade do garanhão equino, é parte do caminho para o sucesso. Isso porque, quaisquer problemas relacionados à fertilidade, sejam fisiológicos ou comportamentais, podem comprometer toda a rotina de reprodução planejada.
 
Assim, listamos a seguir os principais fatores que comprometem essa fertilidade:
 
Problemas na produção espermática do garanhão
Maturidade sexual tardia
Um fator que pode afetar a fertilidade do garanhão equino, é a maturidade sexual tardia. Esse processo fisiológico acontece quando, em algumas raças, os garanhões não atingem a concentração e motilidade adequada, com alto índice de anomalias morfológicas no esperma produzido. Assim, para raças como Mangalarga Marchador, em que esta questão é mais comum, os macho atinge a maturidade somente na faixa dos 4 anos de idade.
 
Uma forma de driblar esse problema, é realizar tratamentos hormonais com GnRH por um período pré-determinado para que a espermatogênese seja normalizada. Contudo, vale ressaltar que essas ações demandam acompanhamento veterinário e, se realizadas por longos períodos de tempo e sem orientação, podem comprometer ainda mais a fertilidade do animal.
 
Degeneração Testicular
Dentre os fatores que afetam a fertilidade do garanhão equino, a degeneração testicular é o principal. Antes acreditada como proveniente de complicações ocorridas em tratamentos com GnRH, hoje se reconhece que este problema tem sua fonte principal no próprio testiculo e problemas de termorregulação da região. Um exemplo disso, são as consequência da babesiose equina.
 
Doença endêmica no Brasil, a babesiose causa febres com picos de temperatura, que comprometem a termorregulação corporal do animal e podem comprometer a atividade testicular. Alguns especialistas apontam que, apenas algumas horas de de alteração de temperatura intensa no organismo do animal, comprometem a espermatogênese, podem levar à degeneração testicular e morte de tecidos na região.
 
Outra causa comprovada desse problema é o uso de anabolizantes nesses machos. Contudo, com o acompanhamento veterinário correto os problema originados podem ser reversíveis. Tudo dependendo, é claro, das dosagens, frequência e tipos de substâncias usadas. Como muitos garanhões tendem a ter idade mais avançada, a degeneração testicular pode ser de ocorrência natural e existem tratamentos que, se realizados de forma correta, podem reverter o quadro e prolongar a fertilidade do animal.
 
Fatores comportamentais do garanhão equino
Um fator que pode comprometer seriamente a fertilidade do garanhão equino está ligado ao comportamento sexual do animal. Nesses casos, um exame completo, inclusive do histórico reprodutivo do animal deve ser realizado, já que as causas para esse problemas podem ter origens físicas ou psicológicas. Contudo, vale ressaltar que tais distúrbios de origem física, como impossibilidade física de monta natural, por exemplo, podem levar a distúrbios psicológicos.
 
Assim, como as principais causas de questões com o comportamento sexual de garanhões são geradas por questões psicológicas, separamos alguns pontos que podem desencadear tais problemas. São eles:
 
Mudanças significativas na rotina diária do macho;
 
Alterações no protocolo de coleta de sêmen;
 
Esgotamento e estresse ao final do período de monta.
 
Muitas dessas questões comprometem não o conteúdo do ejaculado, mas sim a ejaculação em si. Isso porque, na grande maioria dos casos relativos a comportamento sexual, a manifestação do problema se dá quando o animal fica, de algum modo, apresenta uma disfunção ejaculatória. 
 
Como dissemos, essa questão pode ter origem em traumas físicos, como dores na região lombar e nas articulações, sequelas de EPM, distúrbios circulatórios e distúrbios ósseos e musculares. Estes últimos, principalmente, quando associados à idade avançada do garanhão equino. 
 
Diante dessa variedade de possibilidades, os tratamentos indicados vão depender da origem da mudança no comportamento. Assim, o veterinário responsável precisa trabalhar em colaboração com criadores e responsáveis para conhecer bem o histórico do animal e determinar a causa. Dessa forma, o tratamento correto pode ser ministrado para que o animal recupere a fertilidade.
 
Nesses casos, é possível ainda usar o animal em algumas rotinas reprodutivas. Casos com problema de ordem física, por exemplo, podem ser contornados com métodos de coleta de sêmen. Lembrando que tudo tem que ser conduzido por um profissional experiente já que alterações de rotina podem comprometer o desempenho do animal.
 
A importância do exame andrológico
Diante da grande possibilidade de questões que agem para comprometer a fertilidade do garanhão equino, se torna fundamental enfatizar a importância do exame andrológico. Este exame, por essência, conta com uma análise profunda das condições fisiológicas, histórico, característica e formação de sêmen, e comportamento do animal, levando em conta desempenho, manejo e função do macho. 
 
Assim, por meio do exame andrológico do garanhão, é possível que o veterinário conheça o animal profundamente e identifique tais questões e fatores de comprometimento da fertilidade antes mesmo da estação de monta. Vale ressaltar que, com o exame, um histórico muito mais detalhado do animal durante os anos reprodutivos pode ser estabelecido. Dessa forma, caso um problema futuro venha a ocorrer, a detecção das causas é muito mais fácil por parte do veterinário.
 
Por fim, é importante destacar que para um exame andrológico bem feito é preciso um profissional experiente, capacitado para avaliar corretamente as condições do animal. Ele será a diferença entre ter um diagnóstico preciso e uma detecção precoce de fatores que afetam a infertilidade, e o animal representar um prejuízo na estação de monta.
 
Fonte: Escola do Cavalo