Veja como foi a 6ª edição do Team Roping dos Campeões realizado em Bálsamo (SP)

A sexta edição do Team Roping dos Campeões aconteceu de 12 a 14 de outubro no Haras Sulera, em Bálsamo/SP. Com premiação de mais de R$ 300 mil e 2700 inscrições, se firmou como uma das mais esperadas provas da modalidade no calendário. Leandro Casin é o organizador, junto com sua esposa Livia. Juntos, lançaram o evento, em sua cidade natal, Nhandeara/SP.
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé
 
“Em 2013 resolvemos fazer uma prova aqui na minha cidade, mas não tínhamos muitas pretensões no começo. Começamos pequenos, premiação mais baixa. Mas sempre quis que essa prova chegasse onde está hoje. Meu sonho sempre foi fazer uma prova aqui na região que desse uma premiação maior”, conta Leandro.
 
Há oito anos no Laço, ele lembra que sempre competiu em provas grandes, em Goiás por exemplo, onde a premiação era uma caminhonete para a categoria principal. “Vejo nessa questão uma valorização importante dos animais e dos competidores, e queria trazer isso aqui para o 017”. Então, lançou a prova, a princípio, de médio porte, investindo em regras rígidas, para ganhar espaço e se tornar maior.
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo
Campeões da Prova do Cavalete: Carlos Guilherme e Guilherme Lobinho
 
Há quatro anos se estabeleceram no Haras Sulera, uma das melhores estruturas do País para o Team Roping. “Esse ano o destaque foi a caminhonete ‘zero’ km, dois carros ‘zero’ km, trailers e motos também ‘zero’ km e o restante da premiação em dinheiro. Junto do meu braço direito, que é a minha esposa Livia, conseguimos atingir esse objetivo já na sexta edição do evento”, reforça.
 
Com essa premiação jamais vista na região e 400 laçadores, Leandro comemora também o rigor no cumprimento dos horários, limite de inscrições e um local adequado para receber os competidores que foram de várias partes do País para prestigiá-los. E ele avisa: “Estaremos juntos em Outubro de 2019 novamente!”
 
E como diz aquele ditado: ‘filho de peixe, peixinho é’, a caminhonete foi para as mãos do filho de um dos melhores cabeceiros do País. Murilo dos Santos é filho de Tu dos Santos e laçando com Tony Banzoni, média 5s700, venceu a Aberta na #Soma4e6.
A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo
Tony e Murilo (ao centro), Leandro e Livia
 
Aos 17 anos recém completados dia 15/10, Murilo é uma das promessas da modalidade. Não só pela escola que tem em casa, diariamente desde que nasceu, mas por sua dedicação. Ele gira corda desde muito novo, começou nas provas de cavalete para as crianças, depois montado e só quando estava maior um pouco passou a treinar com o pai. Em 2017, Tu foi eleito o melhor cabeceiro do Brasil segundo Ranking da ETR e da CNAR.
 
Para chegar a 29 motos, quatro trailers e essa camionete de prêmio na carreira com apenas 17 anos, ele se dedica. O dia começa cedo, quando ele acorda às 5h20 para ir à Escola Agricola. Chega em casa por volta das 16h e já parte para a pista. Segundo sua mãe, os treinos são puxados. Ele treina com o pai e com o Joamel Mello. Leticia conta que como o Tu treina os potros para o Santanas Ranch, a dificuldade aumenta e Murilo tem que ser preciso.
 
“Acredito que foi isso que ajudou muito na evolução dele como laçador. E o Tu é muito presente, ensina, corrige. E esse deve ser o diferencial para ele estar se destacando e, com a graça de Deus, evoluindo”, afirma. Ela e Tu não puderam ir nessa prova de Bálsamo, mas a cada laçada o filho ia trocando ideias com o pai. Já de madrugada, quando receberam a notícia da vitória, foi só emoção. “O celular começou a tocar, começou a chegar muita mensagem também, os vídeos da laçada. Começamos a chorar, os dois. Queríamos muito estar ao lado dele nesse momento tão especial”.
A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé
Jobinho Itaruma e Toisso Cavalheiro
 
Ganhar essa um prêmio desse porte era um sonho para o laçador. Por várias vezes, passou perto, por questão de milésimos não dava certo. “E veio em um momento bem especial. No dia seguinte foi aniversário dele. Não haveria presente maior que esse”, finalizou a mãe coruja e orgulhosa, lembrando que ele também ganhou mais duas motos nessa prova.
 
Outros campeões: #6 – Paulo Giuzio e Adrian Freitas – 5s703; #4 – Du Orlandia e Lane Gabriel – 6s420; Aberta #2e3 – Jobinho Itaruma e Toisso Cavalheiro – 11s16; #3 – Neto Thomé e João Pedro Castanheira – 11s88 – #2,5 – Marcelo Boareto e Dezinho Altinópólis – 14s54; Aberta #8e11 – Juninho Campo Grande e Teobaldo Gouveia – 5s298; #8 – Bruno Felipe e Diego Canápolis – 5s898; #11 – Victor Pedrosa e Leandro da Silva – 5s540. Resultados completos: @leandrocasin_livia.
 
Por Luciana Omena
Fotos: Marilza Barros