Saiba como prevenir a Laminite em equinos!

CONSULTE SEMPRE O VETERINÁRIO
 
A laminite em equinos trata-se de uma inflamação que se manifesta no tecido laminar, por vezes ocorrido nas quatro patas, impondo muitas dores no animal, e queda brusca no rendimento. Ela é um dos principais problemas que afetam o sistema locomotor dos equinos, sendo motivo de intensos atendimentos veterinários.
 
A origem da Laminite pode estar relacionada à infecção, metabolismo ou mesmo por erros de manejo alimentar, e atinge não somente as patas, mas vários outros sistemas, como cardiovascular, endócrino e renal, comprometendo a saúde do animal como um todo se não for devidamente tratada.
 
Treinamentos excessivos também podem ocasionar a doença, além do uso contínuo de corticóides. Esta patologia atinge todas as raças, sendo os cavalos Quarto de Milha, Árabes, e Puro Sangue Inglês(PSI) os que apresentam maior incidência. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!
 
Classificação e sinais da laminite em equinos
A Laminite em equinos pode ser classificada de três maneiras: aguda, crônica e subclínica. 
 
Laminite aguda - o animal mostra bastante sensibilidade no membro, reluta para movimentar-se, e pode ficar a maior parte do tempo deitado. Quando o cavalo é para andar ele demonstra claudicação e ele se apoia sobre os talões. Ele também pode apresentar: 
 
Tremor muscular; 
 
Sudorese; 
 
Aumento da frequência cardíaca e respiratória, por causa da dor;
 
Aumento de temperatura dos cascos ocasionados pela inflamação.
 
Laminite crônica - os cascos podem aumentar em comprimento e sola fica deformada, ela se torna mais fraca e suscetível a quebras. Dessa forma, a claudicação é menos notada, apesar do cavalo ainda sentir um desconforto.
 
Laminite subclínica - neste tipo de laminite os sinais podem não ocorrer, e a enfermidade pode avançar para doenças mais graves, como por exemplo, a sola dupla, úlceras de sola e pinça, erosão de talão e lesão de linha branca.
 
Outras possíveis causas da laminite
Destacamos abaixo algumas possíveis causas da enfermidade: 
 
Ingestão de água fria depois da realização de exercícios; 
 
Infecções sistêmicas como por exemplo, a endometrite, salmonelose e colite; 
 
Exercícios físicos ou traumas em excesso animais não condicionados;
 
Doenças seguidas de quadro endotoxêmicos.
 
Como fazer o diagnóstico e como tratar essa enfermidade?
O diagnóstico é fácil de ser realizado, sendo manifestado na mudança de comportamento do animal, manqueiras, dentre outros. Enfim, é a doença é facilmente detectada pelos sinais apresentados pelo animal.
 
Este diagnóstico deve ser feito por meio de testes de movimentos como cavalo e exames de imagem como, por exemplo, a ultrassonografia e o raio-X. 
 
Já o tratamento mais adequado vai depender de cada caso, sendo recomendável que o animal jamais seja tratado diretamente pelo seu dono, mas sim por um veterinário profissional. O tratamento é normalmente baseado em repouso, utilização do gelo nos locais com inchaços, medicamentos que devem ser sempre prescritos por um médico veterinário.
 
Dessa forma, se a doença não for tratada corretamente, ela pode avançar até mesmo para uma necrose na pata.
 
Como prevenir a laminite?
Para prevenir essa doença, os médicos veterinários devem ficar atentos ao manejo alimentar, fazendo uso de uma dieta equilibrada, exercícios controlados e patologias relacionadas a laminite.
 
Também é fundamental realizar o casqueamento frequente e correto, evitar trabalhos que causam muito esforço do aparelho locomotor do animal em solos duros.
 
A laminite em equinos é considerada uma das principais causas de atendimentos em clínicas e hospitais veterinários e é fundamental um conhecimento amplo dos profissionais envolvidos na área de equinos. Portanto, é necessário muita qualificação para obter o sucesso. Consulte o veterinário
 
Fonte: Escola do Cavalo . http://www.escoladocavalo.com.br/