Prefeitura de Vitória da Conquista (BA) obriga carroceiros a usarem fraldas nos cavalos

Prefeitura de Vitória da Conquista, no sudoeste, diz que quer ordenar trânsito e evitar sujeira na cidade e problemas de saúde com execução de lei

Carroças de Vitória da Conquista deverão ser emplacadas e animais terão de usar 'fraldas'. (Foto:  Secom/PMVC.)

Carroceiros da cidade de Vitória da Conquista, na região sudoeste da Bahia, terão de se adequar a novas regras para trafegar na cidade. Todos os veículos deverão ser emplacados, após o cadastro dos donos, e os cavalos obrigados a usar uma espécie de "fralda" para evitar que sujem as ruas do município. As medidas estão estabelecidas em uma lei municipal que deve entrar em vigor nos próximos dias.
 
Os carroceiros vão passar por um curso gratuito para aprender regras de trânsito e ainda serão impedidos de circular por vias que tenham bastante movimentação. A administração municipal afirma que, com a execução da lei, pretende, com as novas regras, ordenar o fluxo de veículos na cidade, além de evitar sujeira e problemas de saúde.
 
"O que a prefeitura está colocando em execução agora é uma lei de 2008, que já foi aprovada na Câmara. A norma regulamenta, entre outras coisas, a circulação de veículos de tração animal na cidade. Tudo já está sendo discutido com os carroceiros e já tivemos a primeira reunião na semana pasada para discutir sobre as normas, sobre como deverão passar a circular pela cidade, sobre as áreas que podem e que não podem mais transitar", disse o secretário de Serviços Públicos de Vitória da Conquista, Esmeraldino Correia.
 
Em 2015, parte das carroças começou a ser emplacada, mas somente aquelas contratadas pela prefeitura para realização de coleta de lixo em áreas onde caminhões de limpeza não têm acesso.
 
Conforme Correia, a previsão é de que todos os carroceiros comecem a ser convocados para cadastramento já na sexta-feira (7). A prefeitura diz que não tem informações sobre quantos carroceiros existem atualmente na cidade, e que esse número só será determinado após o fim do licenciamento.
 
"O cadastramento e licenciamento dos veículos, assim como o curso que eles vão ter, são gratuitos. Após o cadastro, eles serão chamados para as aulas. Serão ministradas aulas sobre trânsito para eles, para que saibam como transitar de forma adequada. O curso será na coordenação de trânsito da cidade. Somente depois, é que vamos ter noção do número exato de carroceiros aqui. O que sabemos é que é uma quantidade bastante considerável", destacou.
 
Menores de 18 anos ficam impedidos de guiar carroças. As placas que os veículos vão receber, segundo o secretário, são semelhantes às de carros e motos. "A placa vai ter quatro dígitos, que permitirão a identificação de cada carroceiro, e ficará na parte traseira do veículo de tração animal", destacou.
 
Sobre as "fraldas" que os animais que puxam os veículos deverão usar, o secretário informou que isso ficará a custo de cada carroceiro. "Estamos estudando ainda como será isso. Os animais vão ter que usar bolsões na parte traseira para coletar excrementos expelidos. Estamos pesquisando e já vimos que em outros locais esse bolsões são feitos de pano, mas vamos definir em breve e cada carroceiro terá de se adequar. Com isso, evitamos que a cidade fique suja e evitamos doenças como verminose e salmonelose. Também vamos fazer o controle médico veterinário dos animais, inspecionar a saúde deles, fiscalizar mal tratros aos bichos e evitar que eles sejam sobrecarregados nas viagens", destacou.
 
O secretário disse que apenas depois do cadastramento dos carroceiros e da capacitação de todos é que as novas regras entram em vigor. "Vamos fazer isso paulatinamente. O fluxo de carroças na cidade é muito constante e precisamos ter um regulamento disso", afirmou.