Polícia Militar do DF faz enquete para escolher nome da potra nascida no quartel

A Polícia Militar do Distrito Federal abriu enquete em uma rede social para escolher o nome da nova atração do quartel da polícia montada. Uma potra recém-nascida, com cinco dias de vida, chamou a atenção dos membros da corporação. Há quinze anos, não havia reprodução na cavalaria do DF. As sugestões podem ser encaminhadas pelo Facebook.
 
A corporação explica que o nascimento do mascote foi "acidental". A PM comprou um lote de 100 animais trazidos de São Pauloa, e a égua Jamira chegou ao DF prenha. "Mesmo sendo um animal jovem, a gente consegue observar que ela já tem uma boa saúde, já possui algumas características da raça, né", diz o veterinário Augusto Moscardine.
 
Os animais são da raça "brasileiro de hipismo", um mix de variedades europeias e da América do Sul usado em competições. Quando adultos, os animais atingem até 1,65 metro de altura. Segundo o veterinário, os cavalos são dóceis e muito fortes.
 
A 'caçula' da cavalaria da PM só deve começar a ser treinada aos 2 anos de idade. Aos 4, passa a fazer parte das tropas montadas e vai trabalhar nas ruas do DF. No treinamento, os cavalos aprender a não ter medo de bombas, fogo, bandeiras e barreiras físicas.
 
Em um dos exercícios, os animais devem empurrar, com o peito, um carro feito de tambores. "Esse tem como finalidade tornar o cavalo mais franco, principalmente em caso de necessidade de dissipar uma multidão com ânimos nocivos. Faz com que eles vão à frente, sem medo da multidão", diz o comandante do policiamento montado do DF, coronel Leandro Schweitzer.
 
O regimento tem 240 cavalos, que servem à corporação por uma média de 20 anos. A aposentadoria dos animais é nobre: eles ajudam na recuperação de crianças com necessidades especiais, em sessões de equoterapia.