Operários do Centro Olímpico de Hipismo fazem paralização das obras em protesto

Operários protestam em frente à Vila dos Tratadores do Centro de Hipismo de Deodoro (Foto: GloboEsporte.com)

Operários da obra do Centro de Hipismo e da Vila dos Tratadores dos Jogos Olímpicos, em Deodoro, realizaram uma paralisação dos trabalhos na manhã desta quarta-feira. O motivo é a falta de pagamento de uma série de obrigações e benefícios das empreiteiras Zadar, que corre para finalizar a reforma do Centro de Hipismo, e da Tensor, responsável pelos três prédios de seis andares da Vila dos Tratadores. As obras deveriam ter sido concluídas no final do ano passado. A nova previsão é até o fim desta semana. 
Centro de Hipismo junho (Foto: André Durão)
 
De acordo com o Sindicato da Construção Leve (Sintraconst-Rio), a Tensor contratou uma empresa terceirizada, a Webert, para finalizar a Vila dos Tratadores. A Webert, por sua vez, ainda não pagou dois meses de salários dos operários. Para finalizar os trabalhos, faltam o acabamento nos três prédios, e na área externa restam a pavimentação, o paisagismo e o estacionamento.
 
No Centro de Hipismo há demora na assinatura da carteira de trabalho, pendência no pagamento das passagens, rescisão sem os cálculos da média de hora extra, e falta de pagamento da periculosidade aos eletricistas. Neste caso, segundo o Sintraconst, o responsável pelo canteiro de obras acenou para uma solução até sexta-feira. A reforma é orçada em R$ 157,1 milhões e financiada pelo governo federal. Após demora nas conclusões das baias e da clínica veterinária faltam terminar as arquibancadas temporárias, os acessos e o paisagismo.     
 
No início do ano, a Prefeitura rescindiu contrato com a Ibeg na obra do Centro de Hipismo e da Vila dos Tratadores. A alegação era o atraso no cronograma e descumprimento de cláusulas contratuais. A empresa, por sua vez, culpou a demora nos repasses dos recursos e a falta de projetos básicos da Riourbe, a Empresa Municipal de Urbanização. Após sair da obra, a Ibeg acreditava que os trabalhos poderiam ter sido concluídos em abril. 
 
Fonte: Globo Esporte com fotos de André Durão
 
Procuradas pelo GloboEsporte.com a Empresa Olímpica Municipal e a Riourbe ainda não retornaram até a publicação da matéria.