Diarreia em equinos: Um sinal comum para muitas doenças

A diarreia em equinos é mais comum do que se imagina, principalmente em animais jovens. A desordem pode ter diversas causas, pode ser uma mudança na alimentação, ou mesmo de ambiente, fazendo com que o animal tenha uma frequência maior de defecação.
Porém, apesar de ser considerada comum, em casos onde ocorre constantemente, precisa de atenção especial. Pois, pode ser sinal de várias doenças, por isso ficar por dentro do assunto e se atualizar é sempre bom.
Nos casos de diarreia em equinos adultos, costuma estar associada a problemas que afetam o cólon maior e ceco, e normalmente é ocasionada por mudanças na parede intestinal ou mesmo na flora intestinal. Ao longo deste artigo você entenderá mais sobre as causas, os sinais clínicos e possíveis tratamentos. Boa leitura!
 
Tipos de diarréias 
A diarreia em equinos pode ter várias causas, com isso torna-se mais difícil chegar a um diagnóstico definitivo. E mais, pode ser classificada pela sua patologia ou mesmo pela duração, sendo que passa de aguda para crônica quando ultrapassa duas semanas. É fundamental que o animal seja acompanhado por um profissional bem capacitado, afinal pode levar a complicações mais severas, inclusive a morte dos equinos.
 
7 causas de diarreia em equinos
A diarreia é considerada sinal de alerta para causas variadas, e aí se encontra o principal desafio do médico veterinário. Abaixo você confere a seleção das principais doenças que têm a diarreia como característica comum:
 
Rejeição do organismo a antibióticos;
Infecção crônica por salmonela;
Mudanças alimentares bruscas;
Neoplasia (tumor no intestino);
Ingestão de areia e excesso;
Doença inflamatória;
Parasitas.
Quais são os principais sinais clínicos? 
Com relação aos sinais clínicos, a mudança na consistência fecal é a principal característica visível. Porém, de acordo com o grau em que a diarreia em equinos se encontra, podem ocorrer outros sinais que servem como alerta para a rápida intervenção do médico veterinário. Confira os principais abaixo:
 
Edema (acúmulo de líquido nos membros inferiores e embaixo do abdômen);
Desidratação, perda de peso e fraqueza;
Sinais de cólica (dor abdominal);
Febre e olhos opacos;
Alto som intestinal.
Não é tarefa fácil para os médicos veterinários encontrarem a causa da diarreia, mas a realização do exame físico do animal juntamente com a submissão de amostras de fezes em um laboratório ajuda na identificação de bactérias como a salmonella e clostridia. Já em casos de suspeita de inflamação intestinal, o ultrassom abdominal é um importante aliado.
 
Tratamento e prevenção 
O tratamento é específico de acordo com a etiologia da diarreia, podendo haver necessidade do uso de medicamentos determinados. Em casos de suspeita de diarreia, se o animal faz uso prolongado de anti-inflamatórios ou qualquer outro tipo de fármaco é necessário suspender até que o médico veterinário avalie o caso. Outro ponto importante é que se não for possível contactar o profissional de imediato, é fundamental manter o animal hidratado por meio do uso de soroterapia.
 
Em relação à prevenção é sempre bom dar atenção especial ao manejo alimentar dos equinos. E mais, prestar atenção aos locais onde realizam o pastejo. Inúmeras são as patologias que podem desencadear a diarreia em cavalos. Por isso, é fundamental estar sempre atento às medidas emergenciais que devem ser adotadas em casos como este.
 
Você, produtor e criador, já se imaginou realizando um treinamento prático sobre o atendimento emergencial com os equinos? No curso de primeiros socorros em equinos do CPT Cursos Presenciais, você aprenderá a avaliar os principais problemas que ocorrem com os animais, incluindo a avaliação profunda dos sinais vitais, anatomia e processos de enfermagem.
E o melhor, em uma das fazendas mais bem estruturadas do país, a Fazenda Escola CPT. Mas, corra para verificar as informações no banner abaixo e fazer sua inscrição, pois, visando oferecer um treinamento prático individualizado as vagas são limitadas.