Continua a briga pelos cavalos entre Doda Miranda e Athina Onassis

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé
 
Finda a Olimpíada do Rio de Janeiro, Doda Miranda foi à Holanda para treinar com o cavalo Cornetto K, seu parceiro nos Jogos de 2016, com quem alcançou o 9º lugar na prova de hipismo individual. O animal estava no centro que ele fundara com a ex-mulher, Athina Onassis, a bilionária neta e herdeira do grego Aristóteles Onassis (1906-1975), o lendário patriarca de uma das dinastias mais icônicas do século 20. Até então, o ex-casal – os dois se separaram no início de 2016 – dividia a posse do cavalo. Mas a visita de Doda foi frustrada. Um segurança o interrompeu quando ele caminhava em direção à cocheira. O brasileiro estava proibido de entrar, por ordem de Athina. Agora, o atleta olímpico briga na Justiça para recuperar a posse desse e de outros cavalos e sua parte na empresa fundada com a ex-mulher. Há processos correndo na Holanda e na Bélgica e, recentemente, também no Brasil. O imbróglio nada tem a ver com o histórico do casal, sempre discreto e avesso a polêmicas. Mas a história já virou uma triste novela, que se arrasta há mais de um ano e envolve traição, rancor, muito dinheiro. E, claro, cavalos.
 
Do amor ao divórcio
 
O romance da filha de Christina Onassis com o cavaleiro brasileiro começou em 2002. Athina tinha 17 anos e se encantou por seu treinador, então com 29. O casamento aconteceu em São Paulo, em 2005, sem a presença do pai e tutor, Thierry Roussel. A família não era a favor da união?, questionavam tablóides e o jet set internacional. Polêmica abafada, o casal seguiu junto até 2016. Dividiram a paixão pelos cavalos e comandaram a empresa Victory, que administra centros de treinamento e compra de animais, entre outras atividades ligadas ao hipismo. Foi assim até o dia em que, durante uma temporada nos Estados Unidos, Athina decidiu voltar para a Bélgica sem o marido, desgostosa após saber de uma suposta traição (leia quadro). Desde então, foi cada vez mais down no high society. Ela entrou com um pedido de divórcio, expulsou-o dos negócios que até então eram dos dois e proibiu seu acesso aos oito cavalos. Cortou ligações com a família, inclusive com a enteada adolescente, Viviane, cuja mãe, Cibele Dorsa, havia se suicidado em 2011 e deixou uma carta criticando o ex-companheiro.
 
A neta de Onassis contratou um advogado mundialmente conhecido, Robert Cohen, para tratar do caso. Até agora, Doda conseguiu o direito de permanecer na casa onde morava com Athina na Bélgica. Ele teria pedido uma pensão de cerca de R$ 1 milhão, mas o valor concedido pela Justiça foi um pouco menor do que essa cifra. O brasileiro diz pleitear, basicamente, sua parte nos negócios e seus cavalos. Afirma ter colocado um altíssimo investimento e, por isso, merece ser ressarcido após a separação. Na primeira entrevista após a separação, para o “Programa Amaury Jr.”, Doda afirmou que não é interesseiro, não pretende tirar a fortuna da ex-mulher, que casou em separação total de bens e que só quer seus direitos. Do mesmo programa, coincidentemente, veio seu novo relacionamento: ele namora uma das repórteres da atração, Denize Severo. Enquanto o quiprocó aumenta, a performance de cavaleiro detentor de medalhas olímpicas só cai. Para quem já ocupou o 14º lugar no ranking da Federação Equestre Internacional, aparecer na posição 294, como acontece hoje, deve ter gosto amargo. Na tentativa de se recuperar, Doda planeja treinar cavalos no Brasil para poder competir em Tóquio, na Olimpíada de 2020. Até lá, espera ter recuperado os seus.
 
Paixão, traição e tribunais
No começo, um romance. Mas, depois de catorze anos, a relação de Doda Miranda e Athina Onassis virou caso de Justiça. Entenda:
 
2002
A jovem Athina Onassis se muda para a Bélgica para estudar hipismo na escola do brasileiro Nelson Pessoa. Aos 17 anos, conhece Doda Miranda, então com 29. Ele se torna seu treinador, e, após pouco tempo de convivência, os dois se apaixonam
 
2005
Em meio a especulações de que Doda só estaria interessado no dinheiro da herdeira dos Onassis, o casal se casa em São Paulo, em uma cerimônia para mais de mil pessoas. O pai de Athina, Thierry Roussel, não comparece, e a noiva sobe ao altar ao lado do sogro
 
2014
Athina se acidenta em um concurso de hipismo e quebra o nariz. A égua que montava, uma de suas preferidas, é sacrificada. O acidente a deixa abalada a ponto de apresentar sintomas de depressão
 
2015
O casal comemora dez anos de casamento na ilha caribenha de Saint-Barth
 
2016
Durante uma temporada em Palm Beach, na Flórida, Athina pede um tempo na relação e volta para a Europa sozinha. Quando Doda regressa à sua casa na Bélgica, ela pede o divórcio. Tabloides afirmam que um segurança flagrou Doda na cama com outra quando o casal estava nos Estados Unidos
 
2017
Doda entra com uma ação judicial no Brasil para recuperar seus cavalos. Também pede indenização por ter sido cortado da empresa que comandava ao lado de Athina. Anteriormente, ele já havia entrado com pedidos similares em tribunais da Bélgica e da Holanda