Cavalo crioulo Fitzgerald esnoba inatividade e comanda trifeta brasileira em Montevidéu

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas andando a cavalo, cavalo e atividades ao ar livre
Crioulo do Haras Santa Maria de Araras venceu o Clásico Asociacion de Propietários de Puro Sangre de Carrera (URU-gr.III).
 
No domingo (14), em Maroñas, produtos de 3 e mais anos disputaram o Clásico Asociacion de Propietários de Puro Sangre de Carrera (URU-gr.III), em 1.600m na pista de areia. Mesmo sem correr desde sua esmagadora vitória no GP Pedro Piñeyrúa (gr.I), disputado no mês de janeiro, o brasileiro Fitzgerald voltou a demonstrar sua enorme categoria ao esnobar a inatividade e comandar trifeta da criação local.
 
Com Luis Cáceres “up”, Fitzgerald acompanhou o ritmo de Dos Amores na segunda colocação. Na reta final, dominou a carreira com facilidade. Porém, muitos o viram em maus lençóis, na altura dos 300 finais, quando surgiram atropelando os também brasileiros Laurent (por Discreet Cat, do Haras Figueira do Lago), por fora, e Al Mare (por Vettori, do Haras Old Friends) por dentro.
 
Nesse ponto, veio à tona toda a qualidade do castanho escuro. Em pronta reação, não permitiu que o dominassem, livrando 1 corpo e ¾ sobre Al Mare. Laurent, bastante próximo, foi o terceiro.
 
Treinado por Jorge Firpo, Fitzgerald obteve a décima terceira vitória em 16 saídas. Aos 5 anos, o filho de Put It Back e Via Jet (Wild Event), de criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade do Stud La Fe, percorreu a milha no tempo de 1:36.08.